Solar

Tesla envia superbaterias para devastada Porto Rico

Saturday, 07 de October de 2017

Tesla envia superbaterias para devastada Porto Rico

Não há limites que freiem o CEO da Tesla e da SpaceX. No Twitter, Elon Musk escreveu sobre a possibilidade de se reconstruir a rede elétrica de Porto Rico usando energia solar. Menos de 10% da rede elétrica está em operação e pode demorar até seis meses para que o serviço seja restaurado para toda a ilha

O governador da ilha, Ricardo Rossello, respondeu pela rede social chamando o CEO da Tesla e da SpaceX para conversar mais a respeito.

A Tesla, empresa de carros elétricos e energia solar, está enviando centenas de sistemas de baterias domésticas da marca (as chamadas Powerwall) para ajudar nos esforços de recuperação na devastada Porto Rico.

Mais de dez dias após a passagem do furacão Maria nos EUA, a ilha continua em apuros. Menos de 10% da rede elétrica está em operação, e pode demorar até seis meses para que o serviço de luz seja restaurado para seus 3,5 milhões de habitantes.

Os custos para reconstruir a infraestrutura local, incluindo a rede elétrica, são estimados entre US$ 40 bilhões e US$ 80 bilhões. Considerando a crise da dívida da Autoridade de Energia Elétrica de Porto Rico (PREPA), a reconstrução da rede parece um sonho distante.

Nesse cenário, as baterias para armazenamento de energia da Tesla podem ser facilmente integradas em sistemas de energia solar, ajudando a restaurar um pouco da segurança e estabilidade energética da ilha.

A iniciativa inclui ainda uma doação a Porto Rico de US$ 250 mil da fortuna pessoal do CEO Elon Musk, bem como o envio de uma equipe técnica que já está na ilha instalando os sistemas.

No ano passado, a Tesla adquiriu a empresa de painéis solares SolarCity, confiante de que a combinação do armazenamento de energia solar com baterias é a chave para acelerar a transição para fontes mais sustentáveis e livrar o mundo dos combustíveis fósseis.

A SolarCity cria tetos solares para residências e unidades de armazenamento de energia. A empresa vem buscando meios de aprimorar seus projetos, e, recentemente, Musk foi escolhido para construir a maior bateria de íon-lítio do mundo, que deverá resolver os problemas energéticos da Austrália do Sul. O projeto, que custará pelo menos US$ 50 milhões, pode fornecer energia limpa para mais de 30 mil residências.

O uso de sistemas energéticos de menor escala evidencia uma crescente debate no setor elétrico sobre a necessidade de aumentar a resiliência das redes elétricas usando tecnologia de energia distribuída.

Cerca de metade da eletricidade de Porto Rico é gerada a partir de óleo combustível importado, com outro terço proveniente de gás natural, e o restante do carvão.  A expectativa de especialistas do setor é que Porto Rico aproveite a reconstrução de algumas infraestruturas para testar formas mais descentralizadas e renováveis de produção de energia e se torne menos dependente de fontes fósseis.

Seria possível recorrer a fundos federais para reinventar a rede da ilha, tornando-a mais resistente a tempestades por meio do investimento em projetos de energia solar, eólica e baterias de armazenamento.

Agora, fica a dúvida se os projetos do bilionário podem ser adaptados às necessidades porto-riquenhas. Entre as inovações de sua companhia, está um teto solar capaz de fornecer energia elétrica por três dias mesmo em épocas de dias nublados.



Marcadores: